Conheci o trabalho de Cláudio Amado como professor convidado do Zenas Emprovisadas.

Formado em Artes Cênicas na UNI-RIO (1997), é um ator polivalente:

  • cinema: (Os Porralokinhas PC de 2004 direção de Lui Farias)
  • publicidade:
  • televisão: Participação especial em novelas e séries (Carga Pesada, Paraíso, 7 Pecados, Andando nas Nuvens, Mulheres Apaixonadas, entre outras), Programas Humorísticos (Zorra Total, Turma do Didi, Super Sincero, A Diarista, Sob Nova Direção)
  • teatro: Cenas Brasileiras (direção Walmor Chagas), Terror na Praia (direção:Vic Militello), O Mercador de Veneza (direção: Cláudio Torres Gonzaga), entre muitos outros.

É considerado um dos grandes nomes da Improvisação Carioca.

Em 2003, fundou a 1ª companhia oficial de Teatro-Esporte do Rio de Janeiro, a Cia. Teatro do Nada, que montou os espetáculos “Teatro do Nada”,  “Nada Contra” e recentemente “Impro Night”.

Em 2005, passou a ministrar aulas de Improvisação na sede da Cia. Teatro Contemporâneo, onde organizou os três campeonatos cariocas de Improvisação Teatral.

Também organizou os espetáculos de Impro: “Jogo das Estrelas”, “Amistosos de Improvisação” e “Sextas Improvisadas”.

Diretor da Companhia ImprovInsanos, dirige os espetáculos “ImprovInsanos – Narrativas Improvisadas” e “Musicaos”.

Mais trabalhos de Cláudio Amado podem ainda podem ser vistos no seu canal no YouTube: Cláudio Amado.

Nessa entrevista, gentilmente concedida via correio eletrônico, Cláudio Amado fala sobre seus recentes trabalhos, suas inspirações  e sobre suas opiniões a respeito dos rumos da Improvisação.

Improvisando: Gostaria que vc começasse resumindo os trabalhos nos quais vc está envolvido hoje.

Cláudio Amado: Em 2009 a Cia. Teatro do Nada estreou 2 espetáculos: IMPROZAP, de histórias de 20 minutos com estilos (Tarantino, Shakespeare, Brecht, Bíblia, Suassuna, etc) e IMPRO NIGHT (espetáculo de jogos rápidos para bares e café-teatros), e às vezes fazemos o NADA CONTRA ( de Teatro-Esporte). Em paralelo, eu e Ana Paula Novellino (também da cia.) montamos um espetáculo de long form de 2 atores, DOIS É BOM, inspirado no formato americano “Harold”. Já nos ImprovInsanos, estamos apresentando os dois espetáculos do grupo, NARRATIVAS IMPROVISADAS e MUSICAOS (com improvisação musical), atualmente em cartaz aqui no Rio até 20/dez

Improvisando: O que é Improvisação Teatral? Quais são os princípios em que se embasa?

Cláudio Amado: Existem várias linhas dentro da improvisação. A maioria são espetáculos de humor usando jogos de improvisação, inspirados pelo programa Whose Line is it anyway. Alguns poucos grupos trabalham em cima da técnica do IMPRO, mais voltados para o teatro mesmo (narrativa, trama, personagens, musica, luz, etc). Os princípios variam de acordo com a linha do grupo: se são de humor, a piada é o mais importante. Nos de IMPRO, a história é o mais importante.

Improvisando: Como surgiu a Improvisação na sua carreira?

Cláudio Amado: Através de um grupo de estudos e treinamento com a atriz carioca Gabriela Duvivier, que estudou com Keith Johnstone (criador do IMPRO) no Canadá.

Improvisando: Quem são os Improvisadores que te inspiram na realização do seu trabalho?
Cláudio Amado: Omar Argentino, Volker Quandt (Harlekin Theater – Alemanha), Complot/Escena (México) e La Gata Impro (Colômbia).
Improvisando: Quais companhias no mundo você acredita que hoje fazem os trabalhos mais incríveis?
Cláudio Amado: Das que conheço: Complot/Escena (Mexico), La Gata Impro (Colombia), Loose Moose (Canadá).
Improvisando: O que mais tem te trazido interesse em Improvisação hoje? Jogos de Improvisação ou espetáculos mais Long Form?
Cláudio Amado: Fizemos 5 anos de Teatro-Esporte na Cia Teatro do Nada e desde 2008 estamos pesquisando e estudando os formatos longos.
Improvisando: Qual é o princípio da Improvisação que é hoje mais motivo de investimento e pesquisa hoje no mundo?
Cláudio Amado: É uma arte democrática, viva, extremamente comunicaticava e envolvente; no caso do IMPRO, inclusive nas relações humanas ou de trabalho existe uma aplicação.

Improvisando: Para onde vai a Impro (o futuro)?
Cláudio Amado: Espero que se torne uma modalidade teatral tão forte e respeitada quanto às outras, espero que haja cada vez mais um intercâmbio de grupos do mundo todo e que o Brasil descubra o quantoto antes que a improvisação é uma arte riquissima de possibilidades, e não apenas “brincadeirinhas, joguinhos, sem acabamento”. Cabe aos grupos brasileiros pesquisarem com seriedade e elevar a improvisação para patamares mais audaciosos, pois, segundo Shawn Kinley ( Ator e professor do Loose Moose, cia de Keith Johnstone): “O público é como uma criança: se vc só oferece balinhas, ele sempre vai querer mais balinhas”.

Ator, diretor e professor de improvisa.

ção. Formado em Artes Cênicas pela UNI-RIO (1997), participou de diversos espetáculos como ator, além de participações em televisão, publicidade, cinema e eventos. Em 2003, fundou a 1ª companhia oficial de Teatro-Esporte do Rio de Janeiro, a CIA ATRO DO NADA, que montou os espetáculos “TEATRO DO NADA” e “NADA CONTRA”. Em 2005, começou a ministrar aulas de IMPRO na sede da Cia Teatro Contemporâneo, onde organizou os três campeonatos cariocas de improvisção teatral, além dos espetáculos de improvisação “Jogo das Estrelas’, “ImprovInsanos – Narrativas Improvisadas”, “Amistosos de Improvisação”, “Sextas Improvisadas” e agora “Musicaos”

Anúncios