Gustavo Miranda Ángel atua desde que tinha oito anos de idade em mais de cinqüenta produções. Fundador do Acción Impro e ator do Fundación Prolírica de Antioquia com quem representou importantes papéis nas temporadas anuais de Opereta e Zarzuela de Medellín. Ele também trabalhou para a Asociación Lírica Zoraida Salazar – Dionisio Riol e como artista convidado na temporada da Opereta de Cali. Além de sua experiência como um improvisador e treinador em mais seis países, tem atuado de várias produções e comerciais de televisão local, nacional e internacional. Ele tem participado de filmes de curta e médiametragens colombianos geralmente no papel principal e é locutor de voz para comerciais para rádio e televisão, especializado em vozes atuadas e dublagem de vozes para espetáculos e vídeos.

La Opereta

 

La Escala Humana

Entre nós, brasileiros, é conhecido por sua excelência como ator e como treinador de Improvisação Teatral, admirado por grandes nomes da Improvisação Teatral Brasileira.

Nessa entrevista, gentilmente concedida via email, Gustavo Miranda divide suas impressões a respeito da improvisação teatral, perspectivas atuais e futuras e suas visões particulares da técnica, tudo com uma lucidez, uma clareza e uma didática que somente grandes mestres poderiam ter.

Improvisando: Gostaria que fizesse um pequeno resumo das atividades em que se encontra envolvido hoje.

Gustavo Miranda: Soy Gustavo Miranda, Maestro en Artes Representativas de la Universidad de Antioquia. Fundador de la compañía Acción Impro, con la que trabajo desde hace 10 años. Actualmente además de actuar, dirijo y produzco espectáculos para mi compañía, he participado en festivales de improvisación en Argentina, México, España, Ecuador, Chile, Brasil y Colombia. Estoy haciendo una investigación en otros formatos de improvisación donde sea más importante la creación del personaje. Estoy dictando un taller de impro llamado “La Otra Percepción de la Improvisación” que estrené en Brasil en el 2008 y que recientemente hice en Chile. Presento un programa de televisión (nada relacionado con impro) y hago publicidad en radio.

Sou Gustavo Miranda, Mestre em Artes Cênicas na Universidade de Antioquia. O fundador da companhia Acción Impro, com quem trabalho há 10 anos. Atualmente, além de atuar, eu dirijo e produzo espetáculos com a minha companhia, participei de festivais de improvisação na Argentina, México, Espanha, Equador, Chile, Brasil e Colômbia. Estou fazendo pesquisa em outros formatos de improvisação em que a criação do personagem é o mais importante. Eu estou ensinando uma oficina de improvisação “A Outra Percepção da Improvisação”, que estreiei no Brasil em 2008 e recentemente fiz no Chile. Eu apresento um programa de televisão (nada relacionado a impro) e faço publicidade em rádio.

Improvisando: O que é a improvisação teatral? Em quais princípios ela se baseia?
Gustavo Miranda: La improvisación teatral es el medio, el puente que conecta la imaginación y creatividad del actor con la puesta en escena, es el método natural para llegar a una acción dramática y por consiguiente a uma situación y a una estructura dramáticas. La Impro, por otro lado, es la improvisación como resultado en sí misma, convirtiéndose así en la puesta en escena, sin puentes, sin textos ni ensayos. Esto técnicamente hablando, pero si respondo esta pregunta basado en mi posición personal, diría que la Impro es una filosofía de vida, los conceptos de aceptación, escucha, trabajo en equipo, juego y diversión son tan útiles en la vida que por momentos la impro cobra más importância fuera de escena. La impro te da la posibilidad de crear y no repetir, de ponerte a riesgo constantemente y por si fuera poco, de pasar momentos inolvidables y muy, muy divertidos.

O teatro de improviso é o meio, a ponte que liga a imaginação e a criatividade do ator com a encenação, é o caminho natural para alcançar a ação dramática e, consequentemente, a uma situação e uma estrutura dramáticas. A Impro, por outro lado, é a improvisação como um resultado em si mesmo, tornando-se a encenação, sem pontes, sem textos nem ensaios. Isso tecnicamente falando, mas se eu responder a essa questão com base na minha posição pessoal, eu diria que o Impro é uma filosofia de vida, os conceitos de aceitação, escuta, trabalho em equipe, jogos e diversão são tão úteis na vida que às vezes o impro, por momentos, reivindica mais importância fora de cena. A improvisação te dá a capacidade de criar e não repetir, de te por em risco constantemente e além de tudo, passar momentos memoráveis e muito, muito divertidos.

Improvisando:  Como a Impro foi introduzida dentro da sua carreira?

Gustavo Miranda: Yo estudiaba teatro en la universidad y un maestro que llegó de Itália nos dio un taller de Impro a mi y a un grupo de 20 personas más, más adelante vino una compañía Argentina llamada “Sucesos Argentinos” que llevaba muchos años investigando la Impro, recibimos un entrenamiento aún más detallado y un apoyo económico de parte de ellos, a partir de esse momento, cinco de los veinte que comenzamos los talleres seguimos trabajando constantemente la técnica, entrenamos durante un año seguido y comenzamos a presentarnos con gran éxito en nuestra ciudad, luego comenzamos a viajar a diferentes países y conocimos otras compañías, hasta que nos convertimos en una empresa, ahora la compañía nuevamente está integrada por más de veinte personas, entre artistas, personal operativo y administrativo, tenemos un teatro y una academia de Impro y nos proyectamos como la compañía joven de teatro con más proyección em nuestro país. Finalmente me convertí en actor – improvisador, una combinación muy buena que me ha traído exelentes resultados, recientemente Acción Impro montó su primera obra de texto (La Escala Humana), después de 9 años improvisando le dimos al público un montaje sin nada de improvisación, el resultado fue increíble. http://www.accionimpro.com/app/webroot/laescalahumana/escala_humana.html

Estudava teatro na faculdade e um professor que chegou da Itália nos deu uma oficina de Impro a mim e um grupo de 20 pessoas, depois veio uma empresa Argentina chamados “Sucesos Argentinos” que estava há muitos anos investigando o Impro, recebemos um treinamento ainda mais detalhado e apoio financeiro deles, e a partir desse momento, cinco dos vinte que começamos a Oficina seguimos trabalhando constantemente a técnica, treinamos por um ano seguido e começamos a nos apresentar com grande sucesso em nossa cidade, então começamos a viajar para diferentes países e conhecemos outras empresas, até que nos tornamos uma empresa, agora a companhia novamente está composta por mais de vinte pessoas, entre artistas, pessoal operacional e administrativo, temos um teatro e uma academia de Impro e nos projetamos como a companhia jovem de teatro com mais projecção em nosso país. Finalmente eu me tornei um ator-improvisador, uma combinação muito boa que me trouxe excelentes resultados, recentemente o Acción Impro montou sua primeira peça de texto (La escala Humana), depois de 9 anos improvisando, demos ao público uma montagem sem qualquer de improvisação, o resultado foi incrível. http://www.accionimpro.com/app/webroot/laescalahumana/escala_humana.html

Improvisando: Quem são os improvisadores que te inspiram na realização do seu trabalho?

Gustavo Miranda: Por ser una técnica tan reciente, es muy difícil tener ídolos en la Impro tan rápido, sin embargo hay improvisadores muy talentosos a los que personalmente admiro, por ejemplo Omar Argentino Galván o Marcelo Savignone, originalmente improvisadores de “Sucesos Argentinos”, de mis primeros entrenadores, actualmente realizan investigaciones de Impro com máscaras, solos de impro, formatos dramáticos, entre otros.

Por ser uma técnica tão recente, é muito difícil ter ídolos na Impro tão rápido, contudo há improvisadores muito talentosos a quem eu pessoalmente admiro, por exemplo, Omar Argentino Galván, Marcelo Savignone, originalmente improvisadores do “Sucesos Argentinos”, os meus primeiro treinadores, atualmente realizando pesquisas de Impro com máscaras, solos de impro, formatos dramáticos, entre outros.

Improvisando: Quais companhias teatrais fazem os trabalhos os quais vc mais admira hoje?
Gustavo Miranda: Me gusta mucho el trabajo de Impro Madrid de España, hacen un tipo de improvisación muy tranquila e inteligente. Me gusta también Complot Escena de México y la fusión de clown e improvisador que se da en Jogando No Quintal de Brasil.

Gosto muito do trabalho do ImproMadrid da Espanha, fazem um tipo de improvisação muito tranquila e inteligente. Gosto também do Complot/ Escena do México e da fusão do Clown e Improviso que se dá no Jogando no Quintal do Brasil.

Improvisando:  O que mais o atrai hoje em dia? Jogos de improvisação ou espetáculos
longform?

Gustavo Miranda: Entre esos dos prefiero los espectáculos long form, pero lo que realmente me atrae actualmente en la impro es la búsqueda de la verdad escénica, la construcción de personajes y la teatralidad de las puestas.

Entre esses dois eu prefiro os espetáculos longform, mas o que realmente me atrai na improvisação é a busca da verdade cênica, a construção de personagens e a teatralidade das cenas.

Improvisando:  Quais são os princípios de Improvisação que no atual momento são mais motivo de pesquisa e aplicação?

Gustavo Miranda: Los principios básicos de la impro son la aceptación, la escucha, la atención, la espontaneidad y la acción reacción, esto siempre estará en la impro como base, además como entrenamiento para todo aquel que quiera acercarse a la técnica, por eso creo que difícilmente pasarán de moda. Sin embargo hay otros conceptos que siempre han estado implícitos como la diversión y la honestidad en escena, creo que estos dos elementos están tomando mucha fuerza, al punto de desplazar conceptos como “no hay error” con el que fundamentamos muchos improvisadores nuestro entrenamiento al inicio, ahora estamos buscando ser verdaderos y buscar siempre pasarla bien en escena. Otro principio que está tomando mucha fuerza es la creación del personaje y su relación (estatus) con los otros y con la situación. Y por último un elemento que ha estado siempre en la impro y al que cada vez más las compañías experimentadas le ponen más cuidado, la estructura dramática y construcción de historias.

Os princípios básicos da improvisação são de aceitação, escuta, atenção, a espontaneidade e a ação e reação, isso sempre estará na Impro como base, além disso como treinamento para quem queira se aproximar da técnica, por isso creio que dificilmente sairão de moda. No entanto, existem outros conceitos que sempre têm estado implícitos como a diversão e a honestidade em cena, creio que estes dois elementos estão tomando muita força, a ponto de mudar conceitos tais como “nenhum erro” com o que fundamentamos  muitos improvisadores nosso treinamento no início, agora estamos buscando ser verdadeiros e buscamos transmití-la bem em cena. Outro princípio que está tomando muita força é a criação do personagem e sua relação (status) com os outros e com a situação. E, finalmente, um elemento que sempre tem estado na  improvisação e que as companhias mais experientes vão ter mais cuidado, a estrutura dramática e a construção das estórias.

Improvisando: Para onde caminha a Impro? (o futuro)

Gustavo Miranda: En general el mundo creo que está dando un giro desde hace años a los espectáculos long form, por lo que he visto y he realizado, la impro no humor también es importante en la búsqueda de cada compañía, especialmente las que llevan más de cinco años. Recientemente vi en Chile a Marcelo Savignone (improvisador argentino) con un espectáculo de impro donde solo está él con su músico y una docena de máscaras balinesas, un trabajo impecable de creación de personaje y con una gran veracidad en la escena que me gustó mucho, creo que hacia allá va la impro, o al menos parte de ella. Yo particularmente como dije en la anteriormente, busco una impro donde el actor tenga la posibilidad de construir personajes, historias y estructuras más teatrales, con credibilidad y sin importar el género, puede ser humor o drama, lo importante es que el público sienta que lo que vio fue una obra de teatro improvisada.

Em geral, o mundo creio que está dando uma volta desde anos aos espetáculos longform, pelo que tenho visto e feito, a impro sem humor também é importante busca de cada companhia, especialmente aqueles que chegam a mais de cinco anos . Eu vi recentemente no Chile, Marcelo Savignone (improvisador argentino) num espetáculo de impro onde ele está sozinho com seu músico e uma dúzia de máscaras de Bali, um trabalho fantástico de construção de personagem e com uma grande veracidade em cena que eu gostei muito, creio que por ali a improvisação está indo, ou pelo menos parte dela. Eu particularmente, como disse anteriormente, busco uma impro, onde o ator tenha a possibilidade de criar personagens, histórias e estruturas mais teatrais, com credibilidade e sem importar o gênero, pode ser humor ou drama, o importante é que o público sinta que o que viu foi uma obra de teatro improvisado.

Seguem-se três vídeos:

Um espetáculo chamado Comfama, uma sátira de programa de TV Cambio Extremo e o trailer do novo espetáculo La Escala Humana.


Anúncios